quarta-feira, julho 06, 2016

Sobre as Novas Edições Académicas!

Muito se tem falado sobre esta Editora, inaugurada em 2013, que anda convidando muita gente a publicar os seus trabalhos.
Uns dizem que é um "editora predatória" visto que publicam de tudo, com a revisão do próprio autor.
Outros já dizem que, por estar sediada na Alemanha, até possui algum estatuto...
Não sei... A única coisa que sei, e que não poderia deixar de publicar aqui (apesar de já há muito não escrever neste blog), é que se esta editora tem conseguido dar alguma visibilidade à trabalhos que, até então, ninguém tinha acesso, então, na minha opinião, ela, de alguma forma, tem conseguido fazer um bom trabalho!

Imaginem uma pessoa que terminou o mestrado ou doutoramento com uma nota até boa (o que indica que deve ter realizado um bom trabalho), mas, no entanto, nenhuma editora considerada de "renome" quis publicar esse trabalho? (Aliás, acho que isso é o que mais acontece!)

Pois bem, agora imaginem  que a Universidade aonde esta tese foi defendida, ainda não teve a capacidade de disponibilizá-la numa plataforma online (o quê, por incrível que pareça, ainda é a realidade de algumas universidades) e que, por isso, a única maneira dos interessados em lerem esta tese, será através do documento em papel que, teoricamente, deverá estar disponível na biblioteca desta universidade.

Ora, num mundo globalizado, você ter como única possibilidade de acesso à uma tese, o formato em papel, consultável única e exclusivamente na biblioteca da universidade aonde a mesma foi defendida, é a mesma coisa que você não ter a sua tese disponibilizada!

E é aí que eu pergunto: Por que, então, você passou entre dois a cinco anos da sua vida pesquisando algo no mestrado ou no doutoramento (respetivamente), se ninguém (ou muito poucas pessoas) terão acesso à sua pesquisa? E isso não significa que não haja "N" pessoas interessadas em ler esta pesquisa!

Bem, a proposta das "Novas Edições Acadêmicas" é, justamente, publicarmos um livro baseado em nossas teses. Obviamente, esta não é nenhuma atitude altruísta e, como qualquer outra editora, o que esta também pretende é vender livros! Seja online ou em papel. Por isso, o que a faz convidar muitos estudantes a publicarem os seus trabalhos é, claramente, este aspeto mercadológico. O título da tese é atraente? É um título que teria o interesse de muitos leitores? É um título que venderia muitos livros? Portanto, em primeiro lugar, não devemos nos iludir com o interesse súbito desta editora pelos nossos trabalhos.

Por outro lado, devemos sim, tentar tirar o melhor partido desta situação. Bem ou mal é uma oportunidade que estão a dar-nos para divulgarmos um trabalho que, talvez, se não fosse deste modo, nunca seria divulgado. Assim, tal publicação sempre poderá ser uma mais-valia, visto que no fim, o que conta mesmo, é a qualidade do seu trabalho, e não o veículo pelo qual ele foi divulgado!

Mas que é preciso divulgar, é!
Juliana Iorio

1 comentário:

sara disse...

Cara Juliana,

Teses de Mestrado e Doutoramento, estão disponíveis online nos depósitos digitais (e também nos físicos) da maioria das Universidades, hoje em dia. O que faz sentido, tendo em conta que grande parte dessas teses são financiadas por fundos públicos. Em segundo lugar, é importante ver que esta editora fica com os direitos sobre o trabalho publicado e poderá fazer o que entender com ele (até mesmo modificá-lo) e publicá-lo em vários sítios sem sequer contactar o autor para avisar.
Finalmente, pelo que sei, a única coisa que fazem é uma edição digital, onde apenas acrescentam a capa, e se quiser o livro impresso tem de ser o autor a pagar e a preços exorbitantes! Portanto, é efectivamente uma editora parasita que vive das expectativas iludidas dos autores que, só por ser um grupo alemão, acham que estão a editar numa grande casa que vai valorizar o trabalho deles. Errado! No campo da edição científica, deixe-me dizer-lhe, o objectivo não é que o livro seja lido pelo maior número de pessoas, mas pelas pessoas certas - os interessados, os que estudam e podem citar, comentar, rebater, etc. Os investigadores não são pop stars. Estas editoras são boas para quem só publica por vaidade.